Volvo prevê maior demanda na Europa mas enfraquecimento nos EUA e no Brasil

sexta-feira, 22 de abril de 2016 07:25 BRT
 

Por Niklas Pollard

ESTOCOLMO (Reuters) - A Volvo previu demanda mais forte na Europa mas o oposto nos Estados Unidos e no Brasil, conforme cortes de custos ajudaram a fabricante de caminhões sueca a obter queda menor que a esperada no lucro principal do primeiro trimestre.

Caminhões pesados, segmento no qual a Volvo compete com a alemã Daimler e com a Volkswagen, estão desfrutando de demanda forte na Europa e combatendo desacelerações através do Atlântico.

As ações da Volvo subiam 4,7 por cento às 7h20 no horário de Brasília, depois da maior companhia listada da Suécia em termos de receita informar que o lucro operacional ajustado caiu para 4,46 bilhões de coroas ante os 4,60 bilhões de um ano antes, superando previsão de 4,14 bilhões em uma pesquisa da Reuters com analistas.

"Esse é um trimestre muito bom. Também é um trimestre para o qual havia temores entre investidores devido ao grande histórico da Volvo de muitos custos enquanto alterava a taxa de produção", disse o analista da Handelsbanken Capital Markets Hampus Engellau.

A Volvo, que vende caminhões sob as marcas Mack, Renault e UD, assim como sua própria, dobrou sua previsão de crescimento de mercado na Europa mas previu quedas mais acentuadas na América do Norte e no Brasil.