Corporação Nacional líbia de Óleo diz que governo do leste tentou exportar 650 mil barris

sábado, 23 de abril de 2016 17:44 BRT
 

Por Aidan Lewis

TRIPOLI (Reuters) - A Corporação Nacional de Óleo (NOC, sigla em inglês) da Líbia disse que o governo oriental tentou exportar 650 mil barris de óleo esta semana, violando uma resolução da ONU, mas empregados no terminal de Marsa el-Hariga recusaram-se a embarcar a carga.

O governo oriental da Líbia é uma das duas administrações rivais estabelecidas em 2014. A sua tentativa de vender óleo em uma companhia paralela não foi bem sucedida até agora e tem enfrentado muita resistência da NOC em Tripoli, que mantém o apoio dos governos ocidentais.

O comunicado da NOC disse que o diretor de marketing da companhia paralela deu instruções à firma oriental de óleo Agoco para embarcar o carregamento entre 21 e 23 de abril para a DSA Consultancy FZC, uma empresa registrada nos Emirados Árabes.

Ele dissee que o carregamento era destinado ao Distya Ameya, um navio com bandeira indiana que permaneceu em Marsa el-Hariga.

A empresa paralela de óleo disse que a NOC em Tripoli não é legítima porque não tem o apoio do governo oriental da Líbia, que foi nomeado pelo parlamento internacionalmente reconhecido.

Desde as revoltas que derrubarm Muammar Gaddafi, cinco anos atrás, a produção de óleo da Líbia tem sido prejudicada pela rivalidade entre facções armadas, ataques do Estado Islâmico e disputas trabalhistas. A produção caiu para menos de um quarto dos 1,6 milhão de barris por dia produzidos antes das revoltas.