Espanhol Santander desafia crise brasileira e supera expectativas de lucro e capital

quarta-feira, 27 de abril de 2016 09:56 BRT
 

Por Jesús Aguado e Angus Berwick

MADRI (Reuters) - O Banco Santander respondeu nesta quarta-feira a questões antigas de investidores, reportando uma melhora do índice de capital, o que, combinado com um lucro acima das expectativas, impulsionava suas ações.

O lucro do maior banco da zona do euro superou a média das previsões dos analistas, apesar de divulgar uma queda de quase 5 por cento em seu lucro líquido do primeiro trimestre devido ao aprofundamento da recessão e desvalorização cambial no Brasil, seu segundo maior mercado.

Uma vez convertido em euros, o lucro também recuou na Grã-Bretanha, maior mercado do banco espanhol, e onde a presidente do conselho, Ana Botín, disse que o banco tem planos de contingenciamento caso os eleitores apoiem a saída do país da União Europeia no referendo de junho.

Entretanto, as ações do Santander subiam cerca de 1,6 por cento às 9:510 (horário de Brasília), uma das líderes do índice de blue chips da Espanha Ibex e com desempenho superior ao de pares espanhois, com os investidores e analistas aprovando o aumento do índice de capital sob critério restrito, para 10,27 por cento, de 10,05 por cento em dezembro.

O Santander divulgou lucro líquido de 1,63 bilhão de euros no primeiro trimestre, abaixo de 1,72 bilhão de euros do mesmo período do ano anterior, mas acima das projeções dos analistas de 1,5 bilhão de euros em pesquisa da Reuters.

No Brasil, a recessão ameaça a estratégia de Ana Botín de crescimento orgânico do banco, que sob a gerência de seu pai e predecessor, teve rápida expansão através de aquisições.

O crescimento no Brasil e em outros mercados emergentes compensou largamente o colapso do mercado doméstico do banco durante a crise financeira espanhola.