27 de Abril de 2016 / às 13:07 / um ano atrás

Índia deverá tornar-se importador líquido de açúcar em 2016/17

MUMBAI/LONDRES (Reuters) - A Índia deverá tornar-se um importador líquido de açúcar em 2016/17, após dois anos seguidos de seca que afetaram canais de irrigação e danificaram canaviais, com a produção do maior Estado produtor do país recuando 40 por cento.

Caso isso se confirme, será a primeira vez em quatro anos que o país terá posição de importador líquido, em um movimento que poderá dar mais sustentação aos preços globais, que já estão em alta.

O déficit na Índia também daria a produtores rivais como Paquistão, Tailândia e Brasil uma chance de aumentar suas exportações.

“A Índia precisará importar no próximo ano devido à queda na produção”, disse à Reuters o presidente da Associação dos Comerciantes de Açúcar de Mumbai, Ashok Jain.

“A seca afetou severamente as plantações de cana no Estado de Maharashtra. O governo deveria parar de exportar agora, para reduzir a necessidade de importação na próxima temporada.”

No próximo ano, a produção de Maharashtra poderá cair abaixo de 5 milhões de toneladas, colocando a produção total da Índia em 22,5 milhões de toneladas, segundo estimativas da Associação de Usinas de Açúcar do Oeste da Índia. O consumo doméstico é projetado em 26 milhões de toneladas.

“Eu vejo possibilidade de vermos importações para a Índia no próximo ano”, disse a analista de commodities do Rabobank Tracey Allen, em Londres.

Por Rajendra Jadhav em Mumbai e David Brough em Londres

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below