Fibria vê tendência de recuperação de preços de celulose na China, mas momento é incerto

quarta-feira, 27 de abril de 2016 10:42 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A Fibria disse ver tendência de alguma recuperação dos preços da celulose vendida na China, mas é incerto quando pode anunciar um aumento.

O presidente da Fibria, Marcelo Castelli, disse em teleconferência nesta quarta-feira que recentemente dois produtores rivais anunciaram aumentos de preços, o que reforça a visão de que poucas companhias estão operando sem problemas no nível de preço menor atingido em março e que se mantém relativamente estável em abril.

Porém, o executivo acrescentou que a Fibria ainda precisa ter certeza e consistência de que vai emplacar um aumento. "Não vamos anunciar até que tenhamos fundamentos mais claros", disse.

Em seu balanço do primeiro trimestre, divulgado nesta quarta-feira, a Fibria disse que a pressão sobre os preços iniciada no fim do ano passado pelos clientes chineses continuou ao longo do início deste ano, mas que o sentimento de que os preços atingiram o piso no fim do primeiro trimestre levou a uma retomada dos volumes de vendas para os chineses no mês passado.

"Em março os embarques foram positivos, mostrando que a China após o Ano Novo Chinês de fato voltou um pouco. Mais tardiamente que o normal... mas a demanda voltou firme", afirmou o presidente da Fibria.

Castelli não quis especificar quando um aumento de preços pode ocorrer, mas a rival Eldorado Brasil, do grupo J&F, que tem na Ásia seu principal mercado, disse na semana passada esperar uma retomada a partir de junho.

Os últimos dados apurados pela consultoria finlandesa Foex e compilados por analistas mostraram queda semanal no preço da celulose de 2,8 dólares, ou 0,6 por cento, para 499,3 dólares a tonelada, na China.

Na Europa, a Fibria disse que não experimentou nenhuma queda relevante na demanda.   Continuação...