FMI diz que América Latina corre risco com desaceleração mais profunda da China

quarta-feira, 27 de abril de 2016 13:32 BRT
 

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A recessão da região da América Latina pode piorar se a economia chinesa desacelerar mais do que esperado e atingir os exportadores de commodities, disse o Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta quarta-feira.

A América Latina tem sido atingida pela desaceleração do crescimento global, preços menores das commodities e condições financeiras globais mais apertadas. A projeção é que a atividade econômica da região caia 0,5 por cento em 2016, disse o FMI em seu relatório anual.

Uma desaceleração mais profunda da China pode levar a uma contratação de cerca de 1 por cento na América Latina este ano, diz o relatório.

A retração tem sido alimentada pela pior recessão do Brasil em mais de um século. O FMI projeta que o país contraia 3,8 por cento este ano, resultado igual ao de 2015.

O FMI apontou que a incerteza política no Brasil, onde a presidente Dilma Rousseff pode ser afastada do cargo em meados de maio pelo Senado Federal, pode adiar uma recuperação dos investimentos.

O aumento do endividamento na América Latina tem limitado a capacidade dos governos de impulsionar o crescimento com gastos públicos, embora os investimentos em infraestrutura tenham seguido o desenvolvimento dos países asiáticos com quem a região compete nos mercados de exportação, disse o relatório.

(Reportagem por Michael O'Boyle)