Envelhecimento dos canaviais pode prejudicar produção de açúcar brasileira no futuro

quarta-feira, 27 de abril de 2016 19:10 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - As condições climáticas não poderiam ter sido melhores durante os últimos 30 dias para o início da colheita da cana no centro-sul do Brasil, mas a seca que acelerou a moagem reteve o replantio de canaviais mais velhos, o que pode impactar negativamente as produções futuras.

O Brasil está nos primeiros estágios de uma safra recorde de cana que pode atingir até 630 milhões de toneladas, de acordo com o grupo industrial Unica, graças à amplas chuvas no fim do ano passado e no início deste ano.

As usinas estão avançando muito nos campos após a falta de chuva nos últimos 35 dias.

Mas, de acordo com especialistas, as boas condições para a colheita podem custar ao setor produtividades agrícolas no futuro, com a seca atingindo a cana recém-plantada e as plantas que estão brotando após o corte em meio à falta de umidade.

Vanessa Nardy, analista do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), disse que os canaviais do centro-sul têm necessidade de renovação urgente após anos de investimentos abaixo do ideal devido à má situação financeira das usinas.

"Estamos quase 40 por cento abaixo da taxa de replantio de cana vista há dois anos", ela disse.

De acordo com dados do CTC, a taxa de replantio dos canaviais está em 10 por cento da área cultivada total em 2015, a mínima desde pelo menos 2005.

"Temos preocupação com o que vai acontecer no ano que vem", disse o diretor técnico da Unica, Antonio de Pádua Rodrigues.

Na atual temporada 2016/17, que vai de abril a março, a quantidade de cana que está chegando ao seu quarto ou quinto ano de cortes aumentou, enquanto as plantas no segundo ou terceiro anos de produção caiu.   Continuação...