Economia dos EUA tem forte desaceleração e cresce 0,5% no 1º tri

quinta-feira, 28 de abril de 2016 10:12 BRT
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - O crescimento econômico dos Estados Unidos freou com força e atingiu o ritmo mais lento em dois anos, com os gastos do consumidor enfraquecendo e o dólar forte continuando a afetar as exportações, mas uma melhora da atividade já é esperada dado o mercado de trabalho dinâmico.

O Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA cresceu a uma taxa anual de 0,5 por cento no primeiro trimestre, expansão mais fraca desde o primeiro trimestre de 2014, disse o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira, também devido ao esforço dobrado das empresas para reduzir os estoques.

Economistas consultados pela Reuters esperavam uma expansão de 0,7 por cento nos três primeiros meses do ano, após crescimento de 1,4 por cento no quarto trimestre.

A economia também foi afetada pelo petróleo barato, o que tem prejudicado os lucros de empresas de serviços petrolíferos como a Schlumberger e a Halliburton, resultando na contração mais rápida dos gastos empresariais desde o segundo trimestre de 2009, quando a recessão estava terminando.

Quase todos os setores da economia enfraqueceram no primeiro trimestre, sendo o mercado imobiliário o único ponto positivo.

A desaceleração do crescimento deve ser temporária, dado o mercado de trabalho robusto. Os pedidos de auxílio-desemprego estão próximos da mínima de 43 anos e a criação de postos de trabalho atingiu a média de 209 mil por mês no primeiro trimestre.

Além disso, as pesquisas da indústria e de serviços do Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês), que estão bastante ligadas à atividade econômica, se recuperaram nos últimos meses.

Os gastos do consumidor, que respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, subiram a uma taxa de 1,9 por cento. Esse foi o nível mais baixo desde o primeiro trimestre de 2015 depois de alta de 2,4 por cento no quarto trimestre.   Continuação...