Klabin prevê aprovar projeto de máquina de papelcartão

sexta-feira, 29 de abril de 2016 12:43 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente da Klabin, Fabio Schvartsman, quer que a empresa vá adiante com o projeto de uma nova máquina de papelcartão independente da alavancagem, e pretende levar a questão para o Conselho de Administração até o fim do semestre.

Segundo ele, os estudos de engenharia da máquina devem ser entregues no próximo mês e as negociações com clientes estão em fase final.

"As razões (para o projeto) são mais profundas que a questão da alavancagem... Estão relacionadas à volatilidade do preço da celulose, que alavanca a rentabilidade da operação de cartão", disse Schvartsman nesta sexta-feira em teleconferência com analistas.

"Há alguns mercados com forte crescimento que têm expectativa de que a Klabin os atenda", complementou.

A Klabin anunciou em 2015 estudos para a nova máquina de papel, de número 10, voltada para a exportação de papelcartão a partir de 2018. Além disso, dependendo do sucesso dessa máquina, uma outra de número 11 seria avaliada.

A empresa encerrou o primeiro trimestre com alavancagem medida pela relação do endividamento líquido sobre Ebitda de 5,9 vezes, contra 6,3 vezes no final do ano passado.

Ainda serão desembolsados mais 1 bilhão de reais para o Projeto Puma, da nova fábrica de celulose no Paraná, até o terceiro trimestre, liquidando os pagamentos, disseram executivos da empresa. Com a geração de caixa proveniente do início do projeto, a expectativa é reduzir a alavancagem.

A fábrica, destinada a produção de celulose de fibra curta, fibra longa e fluff, para absorventes e fraldas, começou a operar em março.

A Klabin espera atingir a capacidade nominal mensal de produção da nova fábrica no terceiro trimestre, sendo 1,1 milhão de toneladas anuais de fibra curta e 400 mil de celulose de fibra longa, convertida em fluff.   Continuação...