China compra briga com especuladores e vê vitória com queda de commodities

quarta-feira, 4 de maio de 2016 10:37 BRT
 

MANILA (Reuters) - Os reguladores chineses parecem ter obtido sucesso em estourar uma mini-bolha nos mercados futuros de aço e outras commodities até o momento, assustando especuladores que no mês passado guiaram fortes ganhos nos preços das matérias-primas, desde o carvão até o algodão.

A China garantiu que não irá permitir que seus mercados futuros de commodities se tornem um abrigo para especuladores, com temores de que movimentos de preços não baseados nos fundamentos possam influenciar decisões sobre investimentos e prejudicar esforços para conter o excesso de capacidade.

O preço do produto de aço mais negociado na bolsa de Xangai, que subiu cerca de 17 por cento em apenas quatro dias em meados de abril, caiu pelo segundo dia consecutivo nesta quarta-feira e devolveu todos os ganhos desde o início da onda de compras no mercado.

Ao mesmo tempo, o nível de contratos em aberto caiu fortemente, sugerindo que muitos investidores liquidaram suas posições antes que os preços caíssem ainda mais.

"Fundos especulativos saíram do mercado no momento, e acho que é hora de dar um tempo", disse um analista de um fundo de Xangai, sob a condição de anonimato.

Os preços recuaram após bolsas de commodities em Dalian, Xangai e Zhengzhou elevarem custos de transação e ampliarem os limites de negociação, tornando mais difíceis investimentos especulativos.

O presidente da mineradora de minério de ferro australiana Atlas Iron, David Flanagan, disse no último mês que operações de famílias no mercado estavam afetando os preços e citou um encontro com o gerente de uma usina de aço chinesa.

"A empregada dele está ganhando mais que o salário dela com negociações de contratos futuros de minério de ferro", disse Flanagan a jornalistas. "Isso tem uma influência no preço do minério de ferro".

(Por Manolo Serapio Jr; reportagem adicional de Ruby Lian em Xangai, Melanie Burton em Melbourne e James Regan em Sidney)