Estácio tem leve queda no lucro do 1º tri; provisão para devedores atinge pico

quinta-feira, 5 de maio de 2016 20:12 BRT
 

Por Juliana Schincariol

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Estácio Participações teve leve queda no lucro líquido do primeiro trimestre, período em que a provisão feita pela empresa para se proteger de inadimplência de alunos atingiu um pico.

O lucro líquido foi de 128,5 milhões de reais entre janeiro e março ante 130,6 milhões um ano antes. A média das estimativas de analistas obtidas pela Reuters apontava para lucro líquido de 141 milhões de reais.

A companhia disse que os gastos com marketing tendem a se estabilizar mais próximos dos patamares históricos, resultando em "despesas sensivelmente menores no segundo semestre do ano".

Entre janeiro e março, as despesas com publicidade cresceram 73,3 por cento, para 66,2 milhões de reais, com a estratégia de captação de alunos, o lançamento da campanha de ensino a distância e para os Jogos Olímpicos.

A Estácio afirmou que o custo docente foi impactado por antecipação do processo de formação de turmas no primeiro semestre, "como um resultado da antecipação de toda a nossa campanha de marketing e dos nossos esforços para acelerar a conversão dos candidatos em alunos".

Já a provisão para devedores duvidosos subiu 55,1 por cento ano a ano, a 24,2 milhões de reais. Segundo a companhia, além dos problemas no Fies, o cenário econômico tem limitado a capacidade de pagamento das famílias, "o que aumenta ainda mais o desafio para manter o mesmo patamar de adimplência". A Estácio afirmou no balanço que contratou ajuda externa e reforçou a equipe interna para buscar melhorias no indicador para os próximos trimestres.

A companhia também informou que os descontos e bolsas oferecidos a alunos subiram 28,1 por cento, a 428 milhões de reais.

Nesse semestre, a companhia teve 9,5 mil ingressantes com contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ao final do período de matrículas, contra 22,1 mil ao final da primeira metade de 2015.   Continuação...