Brasil inverte rota tradicional e exporta diesel para Europa

segunda-feira, 9 de maio de 2016 18:31 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O Brasil juntou-se a uma lista de países exportadores de diesel para a Europa, invertendo a rota tradicional e destacando um enfraquecimento da maior economia sul-americana.

Pelo menos duas cargas de 37 mil toneladas de diesel, nos petroleiros Torm Gunhild e MT Alexandros, navegaram nas últimas semanas do Brasil para a Europa, de acordo com dados de localização de navios da Reuters e comerciantes.

O Torm Gunhild está indo para Veneza e é fretado pela companhia de petróleo italiana Eni enquanto o MT Alexandros foi afretado pela comercializadora Glencore e está orientado para descarregar nas Ilhas Canárias.

Comerciantes associaram o raro movimento ao cenário atual da economia brasileira, que tem lutado com um aprofundamento da recessão nos últimos anos. Sua produção econômica caiu 3,8 por cento em 2015 e deverá recuar no mesmo montante em 2016, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Em março, a Petrobras havia exportado uma carga de 50 milhões de litros de diesel para a Argentina, a primeira grande exportação do combustível neste ano, segundo publicou a Reuters, com declarações de uma fonte da empresa.

O movimento contribuiu para o crescimento de 229 por cento das exportações de diesel do Brasil em março ante o mesmo mês de 2015, para 434,4 mil barris, maior volume mensal exportado desde junho de 2014.

Segundo a fonte da empresa, a petroleira estatal estaria em busca de novos mercados, uma forma de a empresa lidar com a fraqueza do mercado interno.

O consumo de diesel no Brasil, que historicamente importa grande parte de suas necessidades dos Estados Unidos, da Ásia e, às vezes, da Europa, também tem declinado constantemente.

"Nós não esperamos que a demanda diesel aumente significativamente até que a economia em geral se recupere", disse consultoria Energy Aspects no mês passado.   Continuação...