Inflação ao consumidor da China acelera menos do que o esperado em abril

terça-feira, 10 de maio de 2016 09:12 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A inflação ao consumidor da China permaneceu fraca em abril, enquanto a queda de quatro anos dos preços ao produtor moderou com a recuperação dos preços de commodities, aliviando as preocupações sobre riscos deflacionários na segunda maior economia do mundo.

Mas analistas entraram em desacordo sobre se as tendências de preços sozinhas são suficientemente convincentes para o banco central adotar uma postura mais cautelosa sobre os cortes de juros, após reduzí-los seis vezes desde o final de 2014.

Os dados fortes de março levantaram esperanças de que a economia estaria melhorando -- possivelmente permitindo que o Banco do Povo da China tire o pé do acelerador -- mas dados mistos de abril até o momento e altos níveis de endividamento têm alimentado as dúvidas sobre se qualquer recuperação se provará sustentável.

"Em relação à política monetária, não esperamos que a inflação tenha um grande papel no pensamento do banco central", disse o economista da Forecast Chester Liaw.

O índice de preços ao consumidor subiu 2,3 por cento em abril ante o ano anterior, devido principalmente à alta nos preços de alimentos, sobretudo da carne suína. A leitura permanece agora no mesmo nível há três meses seguidos, e o dado de abril ficou ligeiramente abaixo da expectativa de alta de 2,4 por cento.

A tendência dos preços ao produtor em abril foi mais encorajadora, com queda dos preços de 3,4 por cento sobre o ano anterior, contra recuo de 3,8 por cento esperados pelos economistas e queda de 4,3 por cento em março. Esse é o segundo mês seguido de queda menor nos preços ao produtor.

(Reportagem de Elias Glenn, Kevin Yao)