Tempo seco reduz safras e exportações de milho e soja do Brasil

terça-feira, 10 de maio de 2016 10:44 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A colheita total de milho do Brasil 2015/16 foi estimada nesta terça-feira em 79,9 milhões de toneladas, ante 84,7 milhões na previsão de abril, com a seca afetando o desempenho da segunda safra do cereal e reduzindo as expectativas de exportações, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A segunda safra de milho do Brasil, a mais afetada pela estiagem de abril, foi projetada em 52,9 milhões de toneladas, versus 57,1 milhões na previsão de abril.

"O clima foi o grande responsável pelo baixo desempenho da lavoura em todo o país, especialmente na região Centro-Oeste, maior região produtora do país", afirmou a estatal em nota.

Com a redução na estimativa de safra, a produção de milho cairá 5,6 por cento ante a temporada passada.

A previsão da Conab confirma expectativa do mercado. No início de abril, reportagem da Reuters já relatava os problemas climáticos que poderiam prejudicar a safra de milho, com previsões meteorológicas apontando um tempo mais seco em fases cruciais para o desenvolvimento das lavouras.

O volume para as exportações brasileiras de milho em 2015/16 foi estimado em 28,4 milhões de toneladas, ante 30,4 milhões na previsão de abril.

Na temporada anterior, o Brasil (segundo maior exportador global) havia exportado um volume recorde de 30,2 milhões de toneladas.

A Conab também reduziu sua projeção de estoques finais de milho para 5,2 milhões de toneladas, ante 7,4 milhões de toneladas na previsão anterior.

O volume agora estimado para os estoques é cerca de metade do que o Brasil tinha no início da temporada e representa pouco menos de um décimo do consumo anual do Brasil.   Continuação...