Prefeitura de SP regulamenta via decreto aplicativos de transporte

terça-feira, 10 de maio de 2016 17:23 BRT
 

Por Natalia Scalzaretto

SÃO PAULO (Reuters) - A prefeitura de São Paulo decidiu regularizar a atuação de empresas de aplicativos de transporte como o Uber via decreto que deve ser publicado na quarta-feira, em decisão que ocorre após meses de forte oposição de vereadores e taxistas da cidade.

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura paulistana, a regularização das empresas de aplicativos, que além do Uber incluem a recém-chegada Cabify e a WillGo, vai ocorrer via pagamento de outorgas que serão baseadas em um preço médio de 0,10 real por quilômetro rodado.

O anúncio do decreto que libera a atuação dos aplicativos fez taxistas promoverem manifestações, bloqueando vias da cidade no entorno da prefeitura, no centro da capital, nesta terça-feira.

De acordo com o diretor de inovação da SP Negócios, Ciro Biderman, o valor médio 0,10 real foi obtido a partir da divisão do custo do sistema viário da cidade por uma estimativa da quilometragem percorrida por todos os veículos anualmente.

A SP Negócios é uma empresa pública ligada à prefeitura e voltada a concessões e atração de investimentos para a cidade. A empresa foi responsável pelo modelo da regulamentação que será publicada no decreto do prefeito Fernando Haddad.

"Esse cálculo nos dá algo entre 0,08 e 0,10 real. Optamos pelo limite máximo por segurança", disse.

Biderman afirmou também que a quilometragem permitida para as empresas da categoria será regulado pela medida de "táxi equivalente", calculada a partir de dados do Uber obtidos pela prefeitura em outubro do ano passado.

Baseados nesta estimativa, a prefeitura prevê que 3 carros dos serviços de aplicativos percorram quilometragem equivalente a um táxi convencional. Sendo assim, todas os aplicativos de transportes poderão rodar, em conjunto, o equivalente a 5 mil táxis, em um primeiro momento.   Continuação...