Com mundo de olho, siderúrgicas chinesas arriscam retomada de produção

quarta-feira, 11 de maio de 2016 14:27 BRT
 

CONDADO DE XIANGFEN, China (Reuters) - Quando a queda nos preços de commodities forçou a siderúrgica chinesa Shanxi Zhongsheng Steel a fechar em outubro passado, a empresa estava sobre um estoque de trilhos de aço para trens de alta velocidade suficiente para cobrir a distância entre São Francisco e a fronteira dos Estados Unidos com o México.

Porém, uma repentina reviravolta nos preços de aço na China impulsionada por esforços de estímulo econômico promovidos pelo governo mudou tudo. Apesar da crise mundial da indústria do aço, a companhia voltou à vida, vendeu o estoque de 100 mil toneladas e agora está produzindo cerca de 4 mil toneladas por dia, incluindo barras de reforço e arame.

Siderúrgicas chinesas como a Shanxi Zhongsheng, chamadas de zumbis porque tinham parado a produção quando os preços despencaram nos últimos anos, estão voltando à vida num momento em que outros países cobram da China controlar sua produção.

A China produz metade do aço consumido no mundo e apesar do excesso de capacidade produtiva global, o país produz um volume recorde da liga em março.

Apesar da China ter dito repetidas vezes que tem intenção de cortar capacidade produtiva, a equação nas cidades siderúrgicas do país como Shanxi não é simples, o que mostra as dificuldades de Pequim para conter uma indústria que desempenhou papel integral na ascensão econômica do país.

Muitas usinas como a Shanxi Zhongsheng reabriram assim que os preços do aço se recuperaram em meio à pressão de autoridades locais que consideram estas empresas como grandes empregadoras e pagadoras de impostos.

"As crianças de todo mundo vão crescer e na China gostamos de dizer que elas vão precisar comprar uma casa e um carro", disse Chen Xuewu, que fiscaliza a produção na Shanxi Zhongsheng. "Isso é uma garantia das necessidades básicas delas e isso também é uma garantia de que haverá demanda por aço."

Apenas em Shanxi, pelo menos 23 usinas siderúrgicas fecharam ou cortaram produção no ano passado, segundo dados do portal steelcn.cn. Muitas delas estão voltando a produzir agora.

Apesar de todos os fechamentos, Shanxi produziu 38,5 milhões de toneladas de aço em 2015, mais do que a produção inteira de aço do Brasil em 2015, que somou 33,2 milhões de toneladas.

Um relatório da Macquarie Research em abril mostra que as siderúrgicas chinesas estão mais otimistas que em vários anos, uma visão demonstrada por Chen.