Presidente da Gol diz que oferta de troca de bônus não é negociável

quinta-feira, 12 de maio de 2016 10:19 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente da companhia aérea Gol, Paulo Kakinoff, disse que a oferta de troca de bônus denominados em dólar feita pela empresa é "não negociável" e "a melhor que podemos oferecer", afirmando que tem percebido interesse dos detentores das notas em entender a operação.

"O atual resultado, com a condição de caixa, iniciativas de liquidez e o cenário macroeconômico, não dá qualquer horizonte" para que a companhia ofereça uma condição melhor, disse Kakinoff em teleconferência para comentar os resultados do primeiro trimestre.

"A companhia estruturou o que poderíamos oferecer de mais atrativo dentre as possibilidades que tem tanto de liquidez quanto de pagamento de prêmio", acrescentou.

Sob os termos da proposta, a Gol sugeriu trocar até 780 milhões de dólares em bônus sem garantias no mercado norte-americano e com vencimentos que vão de 2017 a 2023, além de um bônus perpétuo, por títulos novos com garantia e vencimentos em 2018, 2022 e 2028.

A Gol convidou os detentores de bônus a acessar um site com as informações sobre a oferta e a se cadastrarem para terem dados sobre sua evolução, disse Kakinoff. Por meio do acesso ao site, a Gol disse que consultoria que assessora a empresa tem percebido um nível "muito acima da expectativa que existia para esse cadastramento", com "claro interesse em entender a oferta".

Na semana passada, grupo de detentores de bônus da aérea rejeitou proposta da empresa para troca dos títulos denominados em dólar, em plano que busca uma redução de até 70 por cento no valor de face de alguns deles, recomendando que demais detentores de notas também recusem a proposta.

O grupo argumentou que a proposta busca concessões significativas, mas não fornece informações suficientes sobre a aérea. O grupo é composto por diversas instituições financeiras e detém cerca de 25 por cento do saldo de todas as notas em aberto.

Detentores de bônus que desejam aproveitar prêmio oferecido pela companhia deverão participar da oferta de troca até 17 de maio.

Kakinoff acrescentou que negociações com debenturistas ainda estão em andamento. A Gol tem dívida de 1,05 bilhão de reais representada por debêntures em circulação e iniciou discussões visando algumas concessões.   Continuação...