JBS reduz posição de hedge e foca em queda da alavancagem

quinta-feira, 12 de maio de 2016 14:24 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A maior processadora de carne bovina do mundo JBS reduziu substancialmente sua posição de hedge desde março, em meio ao que chamou de mudança expressiva no cenário que motivou a companhia a proteger 100 por cento de sua exposição cambial, afirmou o presidente-executivo do grupo, Wesley Batista.

Em teleconferência após a divulgação de resultados da empresa no primeiro trimestre, o executivo comentou que a JBS deixou de rolar no final de março 50 mil contratos de hedge cambial, em um total de 2,5 bilhões de dólares.

Batista, porém, evitou comentar mais detalhes sobre a posição atual de hedge da empresa. Perdas com proteção cambial ajudaram a empresa a fechar o primeiro trimestre com prejuízo de 2,7 bilhões de reais.

O executivo também comentou que a JBS está focada em reduzir sua alavancagem para a casa das duas vezes Ebitda, ante 3,84 vezes ao final do primeiro trimestre. Diante desta postura, a empresa não tem foco em fusões e aquisições neste ano, disse Batista.

As ações da companhia disparavam mais de 20 por cento às 13h31, enquanto o Ibovespa mostrava valorização de 1,2 por cento.

O movimento ocorria após a JBS anunciar na noite da véspera plano para reorganização de seus negócios internacionais, com a criação de uma nova empresa que será listada na bolsa de Nova York e com sede na Irlanda.

Analistas do Itaú BBA afirmaram que o anúncio da reorganização era suficiente para ofuscar o prejuízo bilionário sofrido no primeiro trimestre.

"A reestruturação tem potencial para destravar valor para os acionistas", disseram analistas liderados por Antonio Barreto em relatório. Eles acrescentaram que o plano de reorganização poderá destravar até 130 por cento em valor para as ações. "É um ganha-ganha para todos os acionistas", acrescentaram.

Segundo Batista, com a reorganização, que deve ser concluída no final do ano, a JBS espera balancear sua dívida entre as unidades e a nova empresa, JBS International, vai acabar absorvendo parte dos títulos de dívida emitidos pelo grupo.   Continuação...