Entusiasta do investimento privado, Moreira Franco será responsável por concessões

quinta-feira, 12 de maio de 2016 16:04 BRT
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - O ex-ministro Wellington Moreira Franco é um dos principais aliados do presidente interino Michel Temer, a tal ponto de o então vice-presidente ter mencionado na famosa carta de “desabafo” à presidente afastada Dilma Rousseff sua insatisfação com a decisão de tirá-lo do comando da Secretaria de Aviação Civil (SAC).

Assim como seu partido, Moreira Franco participou dos governos de Fernando Henrique Cardoso, quando foi assessor especial entre 1998 e 2002, e de Luiz Inácio Lula da Silva (vice-presidente de Fundos e Loterias da Caixa Econômica Federal) e de Dilma, no qual ocupou dois ministérios, a Secretaria de Assuntos Estratégicos e a Secretaria de Aviação Civil.

Depois de deixar a SAC, Moreira Franco passou a ser uma das principais forças críticas ao governo petista dentro do PMDB. No comando da Fundação Ulysses Guimarães, do partido, ele coordenou a elaboração de estudos que embasam o programa de governo de Temer.

Com a experiência de ter liderado o processo de concessão à iniciativa privada dos aeroportos do Galeão (RJ) e Confins (MG), Moreira Franco será o responsável pelo programa de concessões e privatizações do governo Temer. Formalmente deve ser o secretário-executivo do Programa de Parcela de Investimentos.

VEIA LIBERAL

O peemedebista é um liberal convicto. Segundo um ex-auxiliar que participou de reuniões com Moreira Franco na SAC, ele era um dos principais defensores do aumento da participação de empresas estrangeiras no setor aéreo --medida só tomada pelo governo de Dilma após sua saída do cargo.

Na SAC, Moreira Franco também era o principal defensor da redução para zero da participação da Infraero nas concessões de aeroportos. Nos primeiros leilões, como no dos terminais de Guarulhos (SP) e Brasília (DF), a estatal precisava ter 49 por cento de participação nas sociedades criadas para administrar as concessões.   Continuação...