Temer esvazia Ministério do Desenvolvimento e põe Previdência na Fazenda de olho no fiscal

quinta-feira, 12 de maio de 2016 18:56 BRT
 

Por Lisandra Paraguassu e Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) do governo do presidente interino Michel Temer será uma versão esvaziada e mais pobre do que foi até hoje, agora rebatizado como da Indústria, Comércio e Serviços.

Entregue nas mãos do presidente nacional do PRB , o bispo Marcos Pereira, em troca de apoio no Congresso, a pasta não terá mais sob seu guarda-chuva a Agência Brasileira de Exportações (Apex), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Câmara de Comércio Exterior (Camex), disseram fontes à Reuters nesta quinta-feira.

A decisão é repassar para o Itamaraty a Apex, que tem um gordo orçamento para promoção de exportações e investimentos, financiado pelo Sistema S e que, por isso, não sofre os mesmos contingenciamentos dos recursos federais, segundo duas fontes.

A Camex, que planeja a política de comércio exterior do país, também ficará aos cuidados dos diplomatas, mas com o próprio Temer como presidente e o novo ministro das Relações Exteriores, José Serra, como secretário-executivo (PMDB), segundo uma fonte peemedebista.

De acordo com essa mesma fonte, o presidente interino planeja cuidar pessoalmente da política de comércio exterior, vista como uma das formas mais rápidas de ajudar o Brasil a sair da crise econômica.

Já o BNDES, que financia a maior parte das operações de exportação e também de investimento das empresas no país, passará a ficar sob o Ministério do Planejamento --que será rebatizado de Planejamento, Orçamento e Gestão para Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, comandado pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), um dos homens fortes de Temer.

Jucá pretendia ter sob sua responsabilidade toda a área de política industrial, mas as reclamações das entidades da área, temerosas de uma possível perda de espaço no governo, mudaram os planos.

O próprio Temer chegou a considerar levar a política industrial para o Planejamento e toda a área de comércio exterior para o Itamaraty, eliminando o MDIC.   Continuação...

 
Ministério da Fazenda vai incorporar Previdência no governo do presidente interino Michel Temer. 26/03/2015. REUTERS/Ueslei Marcelino