12 de Maio de 2016 / às 22:42 / em um ano

Lucro da MRV sobe 20,7% no 1º tri, foca em cidades menos maduras

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A MRV viu seu lucro líquido crescer 20,7 por cento no primeiro trimestre, na comparação anual, e vai intensificar a atuação em cidades com operações menos maduras, visando aumento de participação de mercado.

A construtora e incorporadora mineira anunciou nesta quinta-feira lucro líquido de 128 milhões de reais de janeiro a março, ante 106 milhões um ano antes. Na comparação com o quarto trimestre, o lucro caiu 8,6 por cento.

A MRV já havia informado em abril que as vendas contratadas caíram 9,8 por cento de janeiro a março, na comparação anual, a 1,234 bilhão de reais. Os lançamentos cresceram 3,8 por cento ano a ano no trimestre, a 973 milhões de reais.

No trimestre, a receita líquida total da MRV caiu 5 por cento ano a ano, para 990 milhões de reais. Em relação ao quarto trimestre, houve recuo de 18,1 por cento.

O recuo na receita é reflexo de vendas menores e da queda da produção - de 8,6 mil unidades nos primeiros três meses do ano passado para 7,9 mil no primeiro trimestre de 2016.

Segundo o copresidente da empresa Rafael Menin, com a retomada da aceleração dos lançamentos, no curto prazo o volume produzido deve ser recuperar.

Ele disse ainda, que o programa habitacional Minha Casa Minha Vida não deve ter rupturas com relação ao empreendimentos das faixas 2 (para famílias com renda familiar de 3.600 reais) e faixa 3 (renda de 6.500 reais).

A Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) apresentará ao novo governo um estudo mostrando que, cada 1 real de subsídio do orçamento da União para o programa produz um retorno de 5 reais em impostos e tributos.

A MRV vai se focar em cidades em que as operações são menos maduras. Desde 2010, a empresa passou a atuar em 70 novas localidades, disse o executivo, e vai investir em terrenos para equilibrar o estoque nestas cidades onde a atuação é mais recente.

No ano passado, a média de vendas por mês da MRV foi de 2.982 unidades. Estas cidades poderiam acrescentar um potencial de 10.737 unidades ao mês, de acordo com a empresa.

"Com o amadurecimento da operação nas cidades mais jovens podemos ampliar mais nossa participação de mercado", disse.

Em dezembro, Menin disse à Reuters que a MRV tinha 500 milhões de reais previstos para comprar terrenos.

O cancelamento de vendas (distratos) da MRV entre janeiro e março caiu 35,9 por cento em relação ao primeiro trimestre de 2015, a 2.168 unidades.

A consolidação do sistema de vendas simultâneas (que condiciona a venda à aprovação do crédito) contribui para a melhoria nos recebimentos e geração de caixa. No primeiro trimestre, a geração de caixa da MRV foi de 180 milhões de reais, ante 147 milhões no mesmo período em 2015.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 151 milhões de reais, 14 por cento maior sobre mesmo período um ano antes.

Por Juliana Schincariol

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below