Nova meta de primário deve ser aprovada na próxima semana com ressalvas, diz Jucá

sexta-feira, 13 de maio de 2016 13:48 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro do Planejamento, Romero Jucá, afirmou nesta sexta-feira que nova meta de primário deve ser aprovada na semana que vem com as ressalvas necessárias, afirmando que o governo trabalhará para aprovar o projeto de lei encaminhado pela gestão anterior, mas com emendas.

Segundo Jucá, o défict primário encaminhado ao Congresso de 96 bilhões de reais ainda não prevê queda contínua de arrecadação e renegociação de dívidas com os Estados.

O governo tem até a próxima semana para aprovar a mudança fiscal, por meio de projeto de lei, caso contrário corre o risco de ter paralisia no seu Orçamento devido a maior contingenciamento que teria de fazer.

O ministro disse ainda que o governo do presidente interino Michel Temer cortará 4 mil postos de gratificação ou contratação até o fim do ano, que seria o dobro do que governo anterior. Segundo ele, o governo também vai rever a estrutura organizacional dos ministérios.

Assim como afirmou mais cedo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, Jucá disse que os programas sociais passarão por auditorias e que, alguns deles, estão com "subfuncionamento". Mas acrescentou que os que efetivamente estejam funcionando não sofrerão cortes.

O ministro, que falou com a imprensa após a reunião com o presidente interino Michel Temer, afirmou também que todas as empresas e bancos públicos serão ajustados à mentalidade de cortes de gastos e repetiu que é fundamental reequilibrar a Previdência.

(Por Maria Carolina Marcello e Leonardo Goy)