Quebra de safra de milho no Centro-Oeste exige revisão de contratos e gera temores

terça-feira, 17 de maio de 2016 17:49 BRT
 

Por Roberto Samora

CUIABÁ (Reuters) - Muitos produtores de Mato Grosso e Goiás, dois Estados do Centro-Oeste que tinham previsão de colher cerca de metade da safra de milho brasileira, serão forçados a renegociar contratos de venda antecipada com compradores porque não terão o produto para entregar após uma quebra acentuada da colheita esperada.

A avaliação de especialistas do setor foi feita em um cenário de dúvida sobre o que vai acontecer com o mercado semanas antes de começar a colheita da maior safra de milho nacional, que também terá perdas em Estados como Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

No Centro-Oeste, principal região produtora do país, há quem especule que alguns agricultores possam eventualmente deixar de cumprir algumas entregas negociadas no passado --ou pela falta do produto ou porque alguns poderiam tentar renegociar com outros o grão previamente vendido, visando maior lucro num mercado de preços altos. Mas o número de "defaults", ainda assim, seria "mínimo", segundo um consultor.

Para o analista da Agroconsult Valmir Assarice, haverá uma boa parcela de contratos que terão de ser invariavelmente renegociados devido à falta de produto.

"É o cara que não fez a conta, que vendeu na empolgação um volume acima da capacidade de entregar", afirmou.

Ele citou preocupação do mercado em Goiás, onde esteve neste mês realizando levantamentos de colheita da expedição técnica Rally da Safra, organizada pela consultoria.

"A gente está em um momento de insegurança, mas acredito que é mais especulação do momento. Creio que no final das contas o produtor vai cumprir (o contrato), ou entregando o produto ou fazendo uma renegociação", afirmou.

Assarice ponderou que seria improvável que um número relevante de produtores pudesse simplesmente descumprir contratos, apesar da quebra de safra, uma vez que os compradores nesse mercado, dominado por tradings internacionais, são poucos.   Continuação...