Escritório de advocacia dos EUA investiga Gerdau e convoca investidores

quarta-feira, 18 de maio de 2016 12:42 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O escritório norte-americano de advocacia Faruqi & Faruqi divulgou nesta quarta-feira que está investigando se a Gerdau ou seus executivos violaram regras do mercado nos Estados Unidos, e convocou investidores que perderam mais de 100 mil dólares em investimento em ações ou opções da siderúrgica.

Segundo o escritório, a investigação envolve eventual não divulgação de que vários executivos da Gerdau "podem ter se envolvido em atividades ilegais e sonegação fiscal".

A divulgação ocorre após a Polícia Federal anunciar na segunda-feira que indiciou 19 pessoas no âmbito da 6a fase da operação Zelotes, incluindo executivos da Gerdau.

A assessoria de imprensa da Gerdau não estava imediatamente disponível para comentários.

A PF não citou nomes dos indiciados na sexta fase da operação Zelotes, que investiga suspeitas de manipulação de julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

A 6a fase foi deflagrada no final de fevereiro e o presidente-executivo do conglomerado siderúrgico, André Gerdau Johannpeter, foi alvo de um dos mandatos de condução coercitiva na ocasião, em meio a acusações de que a empresa tentou sonegar até 1,5 bilhão de reais.

Em nota distribuída após o anúncio da PF, a Gerdau afirmou ter recebido a notícia do indiciamento de executivos da companhia, incluindo o presidente, "com imensa surpresa e repúdio" e afirmou que "nenhum deles jamais prometeu, ofereceu ou deu vantagem indevida a funcionários públicos para que recursos em trâmite no Carf fossem ilegalmente julgados em seu favor".

As ações da Gerdau caíram 6,7 por cento na segunda-feira e mais 2,6 por cento na terça-feira. Nesta quarta-feira, os papéis exibiam valorização de 1,5 por cento, com o Ibovespa avançando 0,64 por cento às 12:28.

(Por Alberto Alerigi Jr.)