Bayer propõe compra da Monsanto e agita indústria agroquímica global

quinta-feira, 19 de maio de 2016 11:24 BRT
 

Por Greg Roumeliotis e Mike Stone

NOVA YORK/FRANKFURT (Reuters) - O grupo farmacêutico e químico alemão Bayer fez uma proposta não solicitada de aquisição da companhia de sementes norte-americana Monsanto, visando criar a maior fornecedora agrícola do mundo e assumir vantagem nos mercados convergentes de pesticidas e sementes.

A Monsanto revelou a aproximação na quarta-feira, antes da Bayer confirmar seu movimento, ainda que nenhuma das duas tenha divulgado os termos da proposta.

O valor de mercado de 42 bilhões de dólares da Monsanto significa que o acordo poderia superar o plano de aquisição da companhia suíça de agroquímicos Syngenta pela chinesa ChemChina --um negócio que a própria Monsanto perseguiu no ano passado-- e pode encarar obstáculos do regulador antitruste dos Estados Unidos.

Um comunicado da Monsanto disse que sua diretoria está revisando a proposta, que é objeto de análise, aprovação regulatória e outras condições. Não há garantia de que qualquer transação será concluída, acrescentou.

Às 10:57 (horário de Brasília), as ações da Bayer tombavam mais de 9 por cento, tocando nesta quinta-feira as mínimas de dois anos e meio, com alguns investidores preocupados com o custo potencial do acordo. Já as ações da Monsanto subiam mais de 4 por cento.

(Reportagem adicional por Ludwig Burger em Frankfurt e Victoria Bryan em Berlim)

 
Logo da Bayer visto em prédio da companhia em Caracas.   01/03/2016