Meta fiscal poderá ter abatimento por conta da Eletrobras, diz Jucá

quinta-feira, 19 de maio de 2016 20:31 BRT
 

(Reuters) - O ministro do Planejamento, Romero Jucá, disse nesta quinta-feira que a tendência é que a meta fiscal que o governo irá anunciar na próxima segunda-feira contenha a permissão de abatimento por conta da Eletrobras, cuja situação ainda está sendo avaliada pelo Executivo.

Falando após encontro com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, Jucá disse que a questão da Eletrobras é uma das principais dificuldades para o governo fechar a projeção do déficit público deste ano, que deve chegar a 200 bilhões de reais.

“Qual é a dificuldade hoje?... primeiro confirmar se haverá ou não a necessidade desse aporte para a Eletrobras, depois, que valor é esse aporte, porque o processo está em andamento", disse Jucá a jornalistas.

"Então, no caso da Eletrobras, a tendência técnica é nós colocarmos uma referência de possibilidade de abatimento na meta ou de crescimento, sem falar o valor exatamente porque se eu só estivesse num valor pactuado ou pelo menos um valor perto da ideia que seria isso, nós colocaríamos valor na meta.”

Mais cedo, o ministro já havia dito que é preciso aguardar o processo de investigação na Eletrobras antes de decidir sobre uma possível capitalização.

Ao voltar ao assunto no STF, Jucá disse que uma vez feita essa avaliação, será preciso também discutir a "própria modelagem" dos investimentos e a "forma como vai se atuar" em concessões e parcerias público-privadas da Eletrobras.

"Portanto, esse processo de capitalização da Eletrobras não é um processo de curto prazo”, disse.

Jucá disse também que o governo está analisando a possibilidade de algum tipo de carência para os Estados nas negociações sobre as dívidas com a União.

(Reportagem de Cesar Raizer)