Conab vê alta de 15% na safra de café do Brasil; produção de arábica saltará

terça-feira, 24 de maio de 2016 09:39 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A safra de café do Brasil, o maior produtor e exportador mundial, foi estimada nesta terça-feira em 49,67 milhões de sacas de 60 quilos em 2016, com crescimento de 14,9 por cento ante 2015 impulsionado pela produção de grãos arábica, de acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Mas o número ficou próximo ao ponto mais baixo da previsão anterior, com um recuo na estimativa da safra de café robusta, atingida pela seca.

Em janeiro, a Conab havia estimado a produção total (arábica e robusta) em intervalo de 49,13 milhões a 51,94 milhões de sacas.

"Em pleno período de bienalidade positiva, a cultura do café arábica, principalmente, está tendo melhores rendimentos. Isso se deve ao aumento da área em produção e às condições climáticas favoráveis...", afirmou a Conab em relatório.

A safra de arábica, que responde por 81 por cento do total produzido no país, deverá alcançar 40,3 milhões de sacas, aumento de 25,6 por cento ante 2015, quando os cafezais sofreram os efeitos de uma seca.

No levantamento anterior, a Conab havia previsto a safra de arábica em um intervalo de 37,74 milhões a 39,87 milhões de sacas.

Por outro lado, a safra de café robusta (conilon) terá uma queda de 16 por cento na comparação anual, para 9,4 milhões de sacas, ficando abaixo do intervalo da previsão anterior (11,39 milhões a 12,08 milhões de sacas).

"O motivo é a falta de chuvas aliada às altas temperaturas, principalmente no Espírito Santo que é o maior produtor nacional (de conilon) e deve colher 5,95 milhões de sacas", afirmou a Conab em relatório.

(Por Roberto Samora)