Zona do euro celebra "avanço" com Grécia e FMI sobre acordo de dívida

quarta-feira, 25 de maio de 2016 09:37 BRT
 

Por Jan Strupczewski e Francesco Guarascio e Alastair Macdonald

BRUXELAS (Reuters) - A zona do euro deu à Grécia a sua oferta mais firme até agora sobre um alívio da dívida, em um acordo que os ministros das Finanças chamaram de avanço e que recebeu um comprometimento provisório do Fundo Monetário Internacional (FMI) para voltar a fazer parte do resgate a Atenas, animando os investidores.

Após negociações que avançaram sobre as primeiras horas desta quarta-feira, os ministros das Finanças do Eurogrupo acenaram com a liberação de 10,3 bilhões de euros em novos fundos para a Grécia, em reconhecimento às dolorosas reformas fiscais aprovadas pela coalizão de esquerda do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, sujeito a alguns ajustes técnicos finais.

Mas o maior avanço veio na forma de um acordo segundo o qual a zona do euro concordou em oferecer a Atenas um alívio da dívida em 2018, se for necessário para atingir os critérios definidos sobre seus pagamentos. No meio tempo, o fundo de resgate da zona do euro recebeu aprovação para tomar medidas que suavizem a trajetória do serviço da dívida grega.

Entretanto, o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, evitou qualquer comprometimento imediato sobre um reagendamento da dívida grega que exigiria dele garantir a aprovação de um Parlamento cético em Berlim antes das eleições gerais no próximo ano.

Entretanto, o acordo foi para garantir, em princípio, o acordo junto ao FMI para voltar a se juntar à zona do euro no financiamento do resgate grego, sujeito à aprovação de sua diretoria.

"Alcançamos um importante avanço sobre a Grécia que nos permite entrar em uma nova fase no programa de assistência financeira grego", disse o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, em entrevista à imprensa.