Revisão da meta do resultado primário mostra gravidade da crise fiscal, diz Moody's

quarta-feira, 25 de maio de 2016 15:01 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A revisão da meta fiscal para um déficit primário de 170,5 bilhões de reais neste ano ilustra a gravidade da crise fiscal que o governo do presidente interino Michel Temer enfrenta, destacou a agência de classificação de risco Moody's nesta quarta-feira.

"As medidas de reforma propostas são necessárias para reverter as tendências macroeconômicas negativas e conter o grande déficit fiscal, mas destacam as opções limitadas disponíveis ao governo", disse a analista sênior Samar Maziad.

O Congresso Nacional aprovou na madrugada a nova meta fiscal para este ano, garantindo ao governo espaço para manter gastos orçamentários e fechar o ano com déficit primário de 170,5 bilhões de reais.

A aprovação ocorreu após o anúncio das primeiras medidas econômicas, que incluem limitação dos gastos públicos e proibição de elevação dos subsídios.

"A implementação dessas reformas continuam sujeitas à incerteza política, o que está embutido na perspectiva negativa da classificação Ba2 do Brasil", completou a analista.

(Reportagem de Guillmermo Parra-Bernal)