Sergio Leite é eleito presidente da Usiminas

quarta-feira, 25 de maio de 2016 17:20 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O atual vice-presidente comercial da Usiminas, Sergio Leite, foi eleito nesta quarta-feira como presidente-executivo, em uma reunião que contou com oposição do grupo Nippon Steel e votos favoráveis do grupo Techint.

Leite está na Usiminas há 40 anos e tem sido diretor comercial da companhia na gestão dos últimos quatro presidentes da produtora de aços planos. Graduado em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, ele vai substituir Rômel Erwin de Souza, que era defendido pela Nippon.

Souza assumiu o comando da Usiminas após o racha entre os dois sócios controladores, em setembro de 2014, em torno da gestão da siderúrgica. Com a saída de Souza da presidência, o grupo Techint volta a ter influência no dia-a-dia da siderúrgica, reforçando sua posição depois da eleição em abril do presidente do Conselho da companhia, Elias Brito.

"Com a eleição de Leite, parece que a Ternium e o grupo Techint estão ganhando mais espaço dentro da Usiminas após anos de disputas com a Nippon Steel", escreveram em nota analistas do JPMorgan liderados por Rodolfo Angele.

"Mesmo que isso não marque o fim das divergências entre os sócios, em nossa opinião, a eleição do novo presidente deve ser vista como evento positivo para a Usiminas uma vez que a Techint é percebida como um operador capaz da indústria", acrescentaram os analistas.

As ações preferenciais da Usiminas fecharam em alta de 2,35 por cento as os papéis ordinários avançaram 1,02 por cento. O Ibovespa, índice que inclui apenas as preferenciais, subiu 0,28 por cento.

A eleição de Leite ocorreu com votos favoráveis de 6 de 11 membros do Conselho da Usiminas. Os votos a favor foram dos três conselheiros da Techint e dos representantes dos empregados, do fundo de pensão da companhia e de minoritários.

Os três conselheiros da Nippon rejeitaram. Já os dois representantes da CSN se abstiverem após a empresa ter lutado na Justiça para que seus indicados participassem da reunião.

Procuradas, Usiminas, CSN, Nippon Steel e Techint não comentaram o assunto.   Continuação...