Investidores de energia eólica avaliam relicitação de linhas de energia da Abengoa

quarta-feira, 25 de maio de 2016 18:38 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Investidores do setor de energia eólica estudam a possibilidade de fazer propostas por linhas de transmissão em implantação da espanhola Abengoa, caso os ativos sejam relicitados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), após a empresa paralisar as obras em meio a uma crise financeira, afirmou uma representante da indústria nesta quarta-feira.

Segundo a presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), as empresas do setor chegaram a discutir a criação de um "consórcio" para ficar com algumas linhas dos espanhóis, mas haviam recuado após a chinesa State Grid começar a negociar uma eventual aquisição de todos empreendimentos da Abengoa.

Como a transação com os chineses não deve contemplar os ativos ainda em fase de construção, a ideia pode ser retomada.

"É possível, estamos pensando. Não queríamos, mas pode ser necessário", disse Elbia Gannoum a jornalistas, após evento da Abeeólica em São Paulo.

Segundo ela, a atual situação lembra uma fase dos anos 90 em que investidores em hidrelétricas passaram a entrar na construção de linhas de energia para garantir o escoamento da produção de suas usinas.

"Quem sabe você tenha que avançar na estratégia para garantir o investimento", disse a dirigente da associação eólica.

Parte das linhas cuja construção a Abengoa paralisou em novembro passado é importante para garantir a conexão à rede de parques eólicos e usinas solares no Nordeste.

(Por Luciano Costa)