Tráfego aéreo global de passageiros sobe 4,6% em abril, diz Iata

segunda-feira, 30 de maio de 2016 10:45 BRT
 

BERLIM (Reuters) - A demanda global por transporte aéreo de passageiros em abril subiu no ritmo mais lento desde janeiro de 2015, impactada pelos ataques de março contra o aeroporto de Bruxelas e revelando que a segurança é um dos principais desafios enfrentados pelos maiores executivos do setor, que se encontram nesta semana.

Embora as aéreas estejam se beneficiando dos preços menores do petróleo, economias mais fracas e a queda dos preços de passagens também estão apresentando problemas para um setor que opera com margens de lucro estreitas.

Os últimos dados da Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata) mostraram nesta segunda-feira que a demanda subiu 4,6 por cento em abril, na sequência dos ataques suicidas a bombas em Bruxelas que mataram 16 pessoas no fim de março.

A melhora da segurança após outros ataques em destinos populares de viagens deve ser assunto de destaque na agenda do encontro anual da Iata de 1 a 3 de junho em Dublin.

As aéreas também estão sob pressão para reduzir as emissões de dióxido de carbono e os executivos discutirão propostas de agência da ONU para uma medida global baseada no mercado para reduzir as emissões.

A possível saída do Reino Unido da União Europeia e as eleições norte-americanas também são temas de preocupação, com aéreas europeias já alertando que uma saída poderia afetar a demanda por viagens.

A demanda pelo transporte de carga cresceu 3,2 por cento em abril, mas o chefe da Iata disse que o número não é um reflexo verdadeiro do mercado.

"A realidade é que a demanda está fraca, como vemos nos números de negócios globais, e há pouca indicação de que um movimento para cima seja iminente", disse a jornalistas em teleconferência.

(Por Victoria Bryan)