Meirelles repete que aumento de impostos não está descartado no futuro

segunda-feira, 30 de maio de 2016 11:05 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, repetiu nesta segunda-feira que não descarta aumento de impostos no futuro, apesar de uma medida nesta direção não estar na mesa no momento, e reforçou como um mantra que é preciso recuperar a confiança dos agentes econômicos.

"Nunca se pode descartar eventuais aumentos de tributação que sejam claramente transitórios, na medida que a carga tributária no Brasil é elevada", afirmou ele a jornalistas, após participar de evento em São Paulo.

Meirelles afirmou ainda que com estabilização da economia, é de se esperar que a taxa de juros neutra caia em algum momento.

O ministro não deu mais detalhes sobre medidas do governo interino de Michel Temer nem anunciou novas ações, mantendo o discurso de que é preciso adotar medidas fundamentais "realistas" para recuperar a confiança e estabilizar a dívida pública.

Na semana passada, o governo do presidente interino Michel Temer anunciou duas medidas econômicas com efeito imediato, envolvendo o BNDES e o Fundo Soberano, e outra que depende do aval do Congresso para limitar o crescimento de despesas primárias, incluindo desembolsos com saúde e educação.

O ministro disse que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) com a medida deve ser encaminhada a Temer em duas semanas e, assim, ao Congresso. Só depois, acrescentou, outras medidas poderão ser adotadas "gradualmente"

Meirelles também disse que não há pressa na venda das ações que estão no Fundo Soberano brasileiro, no valor de cerca de 2 bilhões de reais, referindo-se aos papéis do Banco do Brasil.

Para o ministro, a reforma da Previdência é fundamental para colocar a economia nos eixos novamente, e que qualquer mudança será discutida "com a sociedade de forma realista".

(Reportagem de Erick Noin; Texto de Patrícia Duarte)