Bendine renuncia à presidência da Petrobras e abre caminho para Parente, diz fonte

segunda-feira, 30 de maio de 2016 16:15 BRT
 

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Aldemir Bendine renunciou ao cargo de presidente-executivo da Petrobras em carta enviada ao Conselho de Administração no fim da manhã desta segunda-feira, abrindo caminho para Pedro Parente, indicado pelo Palácio do Planalto para ocupar o seu lugar na petroleira, segundo uma fonte com conhecimento direto do assunto.

Parente, escolhido pelo presidente da República interino Michel Temer, já passou no teste de integridade necessário para a sua contratação e aguarda apenas uma formalização do Conselho, o que pode acontecer ainda nesta segunda-feira.

"O nome de Parente já foi aprovado pelo Conselho, faltava apenas haver a vaga (que era ocupada por Bendine)", afirmou a fonte, sob condição de anonimato. A chancela final deverá ser dada pelos conselheiros por meio eletrônico, sem necessidade de uma reunião presencial.

O teste de integridade funciona como uma pesquisa e uma análise feitas pela companhia para avaliar possíveis problemas jurídicos que envolvem o nome do indicado para a presidência.

A regra entrou em vigor com o novo estatuto da empresa, aprovado em assembleia neste ano, com mudanças em seu modelo de governança.

São avaliados históricos relacionados à Justiça, à Receita Federal e até mesmo a denúncias feitas pela imprensa. Segundo a fonte, processos judiciais que envolvem Parente estão relacionados ao período em que ele trabalhou no governo.

Entretanto, o histórico de Parente não foi considerado um risco para que ele assumisse a presidência.

Parente deverá ocupar também uma cadeira no Conselho no lugar de Bendine. A fonte afirmou que, na carta apresentada ao Conselho, Bendine foi bastante "simpático", ressaltou as vitórias conquistadas e agradeceu o apoio da diretoria.   Continuação...

 
Aldemir Bendine, que deixa a presidência da Petrobras, em foto registrada no Rio de Janeiro
28/01/2016 REUTERS/Sergio Moraes