Governo central tem primário R$9,751 bi em abril, acima do esperado, com menos subsídios

segunda-feira, 30 de maio de 2016 17:22 BRT
 

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - O governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) registrou superávit primário de 9,751 bilhões de reais em abril, muito acima do esperado e interrompendo dois meses no vermelho, beneficiado pelos menores subsídios ocorridos no período, em decorrência de efeito calendário.

Com o resultado do mês passado, o rombo primário acumulado no ano recuou a 8,451 bilhões de reais, informou nesta segunda-feira o Tesouro Nacional.

Em pesquisa Reuters, a projeção era de saldo positivo de 600 milhões de reais em abril, pela mediana das expectativas. A estimativa mais baixa era de déficit de 4,9 bilhões de reais e a mais alta, de um superávit de 6 bilhões de reais.

"Fundamentalmente é um resultado por conta de calendário, mas não está fora das estimativas da grande maioria dos analistas que acompanham as finanças públicas", afirmou o secretário do Tesouro, Otávio Ladeira.

Ao contrário do que ocorreu em meses anteriores, as despesas totais caíram em abril em 6,4 por cento sobre um ano antes, a 93,862 bilhões de reais, já descontada a inflação.

A menor conta com subsídios e subvenções foi determinante para o movimento, com retração de 96,5 por cento no período, a 145,3 milhões de reais.

Ladeira explicou que o recuo deveu-se à base de comparação, já que no ano passado os subsídios de meses anteriores foram pagos em abril. Agora, eles são desembolsados nos meses devidos após o Tribunal de Contas da União (TCU) ter condenado as chamadas pedaladas fiscais.

Em outra frente, houve redução de 72,3 por cento nas despesas com o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) em abril, a 800,9 milhões de reais.   Continuação...