Setor elétrico da França entrará em greve a partir da quinta-feira, diz sindicato

quarta-feira, 1 de junho de 2016 19:37 BRT
 

PARIS (Reuters) - O sindicato francês CGT votou nesta quarta-feira a favor do início de greves no setor elétrico do país, incluindo um total de 19 usinas nucleares, como parte de protestos nacionais que visam forçar o governo a retirar um disputado projeto de reforma trabalhista.

A greve deve afetar a produção de energia na França a partir das 16h00 desta quarta-feira (no horário de Brasília), com os trabalhadores cruzando os braços nas usinas, mas é improvável que leve a blecautes, devido a uma regra que obriga os sindicatos a manter um nível mínimo de produção que previna a interrupções no suprimento.

A elétrica estatal EDF pode, no entanto, ser forçada a aumentar a importação de eletricidade de países vizinhos para atender à demanda.

"Todas unidades de geração de energia votaram a favor da greve a partir da quinta-feira. Todas as 19 usinas nucleares votaram a favor da greve. Nós começaremos a reduzir a produção de energia esta noite, a partir das 19h (horário de Greenwich)", disse à Reuters o representante do sindicato CGT na EDF, Laurent Langlard.

(Por Bate Felix)