Kroton quer reforçar liderança em ensino privado superior com compra da Estácio; ações disparam

quinta-feira, 2 de junho de 2016 11:11 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - A Kroton, maior companhia de ensino superior privado do país, anunciou nesta quinta-feira que está avaliando a compra da rival Estácio Participações, em uma operação que pode criar um grupo com 1,6 milhão de estudantes no país.

Os planos da Kroton ocorrem em meio à redução das verbas federais para o financiamento do ensino superior privado através do Fies e à recessão no Brasil, que trouxeram dificuldades ao setor de ensino superior privado na captação e na retenção de alunos.

A Kroton informou que já contratou o Itaú BBA e o escritório de advocacia Barbosa Müssnich Aragão para assessorarem a empresa em uma eventual transação com a Estácio.

Às 11h07, a ação da Kroton disparavam quase 10 por cento na bolsa paulista, enquanto a da Estácio saltava mais de 16 por cento, enquanto o Ibovespa tinha valorização de 0,4 por cento. Na máxima, Kroton chegou a subir 11,5 por cento e Estácio teve valorização de 22,3 por cento.

Analistas do Santander Brasil acreditam que a eventual união das companhias de educação vai gerar sinergias significativas, mas trazer desafios regulatórios.

Segundo eles, as operações das duas empresas são complementares em termos geográficos, mas um dos obstáculos, além do aspecto concorrencial, é o estatuto da Estácio que exige uma proposta em dinheiro para todas as ações.

Procurada na manhã desta quinta-feira, a Estácio não comentou o assunto de imediato.

Segundo a Kroton, a relação de troca de ações avaliada internamente pela companhia para o negócio seria de 0,977 papel da Kroton para cada um papel da Estácio, com base no preço médio dos últimos 30 pregões na BM&FBovespa anteriores ao anúncio desta quinta.   Continuação...