Renova Energia pode receber aporte e ter novo sócio em até 3 meses, dizem fontes

quinta-feira, 2 de junho de 2016 19:23 BRT
 

Por Luciano Costa, Guillermo Parra-Bernal e Tatiana Bautzer

SÃO PAULO, 2 Jun (Reuters)- A Renova Energia, empresa de geração renovável controlada pela mineira Cemig, pode ter um novo sócio em até três meses, conforme avançam tratativas em andamento para a entrada de mais uma empresa no bloco de controle da companhia, afirmaram à Reuters três fontes com conhecimento do assunto.

A elétrica tem enfrentado dificuldades para tocar um ambicioso plano de expansão em meio a elevadas taxas de juros e menor disponibilidade de crédito e após ver fracassar uma parceria com a norte-americana SunEdison, que entrou com pedido de recuperação judicial.

O novo sócio entraria injetando recursos em um aumento de capital que provavelmente não seria acompanhado pelos demais acionistas. O aporte seria utilizado para concluir a construção de um complexo eólico na Bahia e reduzir dívidas.

"Com isso, você coloca dinheiro novo na empresa... é o dinheiro para poder acabar a obra do (projeto eólico) Alto Sertão 3 e eliminar a dívida da holding, esse que é o objetivo", disse a fonte.

A dívida da holding Renova é de cerca de 570 milhões de reais. Já as obras em andamento devem demandar cerca de 500 milhões de reais neste ano, segundo a agência de risco Fitch Ratings.

A fonte não quis dar números. Mas, ao ser questionada sobre a possibilidade de o aporte envolver cerca de 1 bilhão de reais, disse que a negociação envolve "mais ou menos isso".

Procurada pela Reuters, a Renova Energia informou que não irá se pronunciar sobre o tema.

De acordo com três fontes, há vários interessados no negócio, entre os quais companhias chinesas.   Continuação...