Fed deve evitar alta de juros antes de votação britânica sobre possibilidade de deixar a UE

sexta-feira, 3 de junho de 2016 13:25 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, pode ser forçado a adiar uma alta de juros na reunião de junho devido à crescente preocupação com as consequências econômicas da votação sobre a possibilidade de a Grã-Bretanha deixar a União Europeia.

A reunião do Fed de 14 e 15 de junho será uma semana antes da votação britânica, em 23 de junho. Um voto por "sair" deve trazer instabilidade aos mercados financeiros, causar ampliação dos spreads e disparar uma corrida para ativos seguros e impulsionar o dólar.

A recente estabilidade do dólar é uma das razões de o Fed ter se tornado mais confortável com aumento de juros e membros do BC norte-americano podem querer deixar passar a ameaça da saída da Grã-Bretanha antes de apertar a política monetária.

Na quinta-feira, o diretor do Fed Daniel Tarullo juntou-se ao coro dos que alertam sobre as preocupações com a votação britânica, dizendo à Bloomberg que uma saída da União Europeia seria um "fator" que ele consideraria na reunião de política monetária de junho e que o impacto da votação nos mercados seria chave.

A pesquisa mais recente mostra que os britânicos estão divididos sobre a saída ou permanência na UE.

OBSTÁCULOS

A votação na Grã-Bretanha é apenas um dos obstáculos para o difícil processo do Fed para normalizar a política monetária.

Em 2014, a queda nos preços do petróleo e uma rápida valorização do dólar pressionou as exportações dos EUA e derrubou a inflação norte-americana.   Continuação...