Risco de necessidade de capitalização na Eletrobras é baixo, diz ministro do Planejamento

sexta-feira, 3 de junho de 2016 19:06 BRT
 

Por Marcela Ayres e Alonso Soto

BRASÍLIA (Reuters) - O risco de a Eletrobras precisar de capitalização é baixo, disse nesta sexta-feira o ministro interino do Planejamento, Dyogo de Oliveira, em entrevista à Reuters.

A Eletrobras tem sofrido dificuldades financeiras após anos de prejuízos bilionários e recentemente suas ações deixaram de ser negociadas nos Estados Unidos, porque a estatal de energia não conseguiu entregar o seu balanço auditado de 2014 ao órgão regulador dos mercados de capitais norte-americano, a Securities and Exchange Comission (SEC).

Os investidores temem que a potencial deslistagem das ações da Eletrobras em Nova York possa levar a um pedido de pagamento antecipado de bilhões de dólares em dívida e forçar o governo a socorrer a estatal.

"Não havia nos contratos de dívida da Eletrobras nenhuma cláusula objetivamente ligando os bônus, os contratos de dívida com a listagem em Nova York. Então observada essa questão, nós então avaliamos que o risco disso (necessidade de capitalização) é baixo", afirmou.

A companhia apresentou na quinta-feira um pedido de revisão do processo sobre potencial deslistagem de papéis da empresa em Nova York

O governo do presidente interino Michel Temer, contudo, ainda avalia se irá de fato injetar 5 bilhões de reais previstos para a Eletrobras a partir de recursos levantados em leilão de hidrelétricas realizado no ano passado, disse Oliveira.

Após o leilão que levantou 17 bilhões de reais, os ministérios da Fazenda e de Minas e Energia acertaram que 6 bilhões de reais iriam para a companhia, dos quais 1 bilhão de reais foram direcionados no início do ano.

Caso a empresa não receba o restante, acrescentou o ministro, o resultado primário do governo poderá ser beneficiado.   Continuação...

 
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro 
20/08/2014 REUTERS/Pilar Olivares