Olam vê déficit de açúcar em expansão; diz que alta dos preços é justificada

segunda-feira, 6 de junho de 2016 14:20 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Os preços do açúcar têm potencial para subir ainda mais após tocarem máximas em mais de dois anos e meio nesta segunda-feira, com a produção não conseguindo acompanhar a demanda em expansão pelo adoçante, afirmou o chefe de operações com açúcar da Olam Internacional em entrevista à Reuters.

Piero Carello disse que a Olam vê déficit global de açúcar crescendo para 7 milhões de toneladas em 2016/17 (outubro a setembro), ante um déficit de 4 milhões de toneladas estimado para 2015/16.

Os contratos futuros do açúcar na bolsa ICE subiram nesta segunda-feira para máxima em dois anos e meio de 19,42 centavos de dólar por libra-peso, impulsionados pelo sentimento de que o mercado global de açúcar deverá enfrentar um déficit após diversos anos de excedentes.

"Acreditamos que há justificativa nos fundamentos para a alta", disse Carello. "Os futuros do açúcar bruto podem ser negociados na casa inferior dos 20 centavos de dólar por libra-peso".

"O mercado precisa subir para um patamar em que ele sinalize que nós (o mundo) precisamos de açúcar", adicionou o executivo.

Carello disse que o consumo global de açúcar segue robusto, subindo cerca de 2 por cento por ano, ou mais de 3 milhões de toneladas.

A alta do consumo tem sido guiada pela Ásia, onde o crescimento da população e mudanças nos hábitos alimentares elevaram a demanda, na contramão do mundo desenvolvido, onde diversos países consideram taxar o adoçante para combater a obesidade.

Uma seca no segundo maior produtor, a Índia, também ajudou a levar o mercado global para um déficit.

A Olam projeta que a produção de açúcar da Índia cairá para 23 milhões de toneladas em 2016/17, ante 25,2 milhões de toneladas em 2015/16, devido à seca em regiões produtoras, incluindo Maharashtra.   Continuação...