Dólar cai mais de 1% e vai abaixo de R$3,45, com Ilan e cenário externo

terça-feira, 7 de junho de 2016 17:19 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caiu mais de 1 por cento e fechou abaixo de 3,45 reais nesta terça-feira após o indicado à presidência do Banco Central, Ilan Goldfajn, defender o regime de câmbio flutuante, levando operadores a entender que teria sinalizado ser favorável a menos intervenções no mercado e confortável com a moeda abaixo de 3,50 reais.

Também contribuiu para o alívio o cenário externo favorável, com preços maiores do petróleo e menores expectativas de altas de juros nos Estados Unidos.

O dólar recuou 1,20 por cento, a 3,4486 reais na venda, no menor patamar de fechamento desde 11 de maio (3,4456 reais). Na máxima da sessão, o dólar subiu a 3,5142 reais e, na mínima, caiu a 3,4461 reais. No mês, a moeda norte-americana acumula queda de 4,53 por cento.

O dólar futuro recuava cerca de 1,25 por cento no final da tarde.

"A leitura do mercado é que haverá pouca interferência no mercado de câmbio quando o Ilan estiver no comando do BC", resumiu o operador da corretora Spinelli José Carlos Amado.

Durante sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), Ilan afirmou que "respeito ao regime de câmbio flutuante" caso assuma o BC. A CAE aprovou sua indicação nesta tarde e estava prevista a votação no plenário do Senado nesta sessão.

Muitos operadores acreditavam que o BC voltaria a intervir no mercado se o dólar se mantivesse abaixo dos 3,50 reais, como vinha fazendo nos últimos meses. Para eles, a autoridade monetária estaria protegendo as exportações brasileiras.

O dólar havia fechado abaixo de 3,50 reais na sessão passada e no menor patamar em mais de três semanas, mas o BC não anunciou qualquer intervenção para este pregão, mantendo-se ausente pela quinta sessão consecutiva.   Continuação...