Previsões de geada no Brasil levam café a tocar maior nível em 1 ano em NY

quarta-feira, 8 de junho de 2016 16:13 BRT
 

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) - Os contratos futuros do café arábica saltaram mais de 5 por cento nesta quarta-feira, para máxima de um ano na bolsa ICE, após o serviço de meteorologia Somar prever um risco de geadas isoladas no Brasil e preocupações climáticas elevarem o açúcar para sua máxima desde outubro de 2013.

Operadores disseram que compras especulativas aumentaram nos contratos do café arábica e do açúcar por preocupações climáticas no Brasil, o maior produtor de duas commodities, levando os preços a um território de sobrecompra técnica. A força do real também forneceu suporte.

O café arábica para julho encerrou em alta de 7,45 centavos de dólar, ou 5,6 por cento, a 1,3965 dólar por libra-peso, a máxima desde maio de 2015, tendo também o maior salto diário desde novembro.

Projeções de geadas isoladas que podem afetar lavouras de café, cana e milho no Sul e Sudeste do Brasil se intensificaram nas últimas 24 horas, informou a Somar Meteorologia.

O café robusta para julho encerrou em alta de 8 dólares, ou 0,5 por cento, a 1.697 dólares por tonelada, após tocar a máxima em quase dez meses, a 1.709 dólares por tonelada.

Os contratos futuros do açúcar bruto para julho encerraram em alta de 0,61 centavo de dólar, ou 3,2 por cento, a 19,61 centavos de dólar por libra-peso, após subir para 19,76 centavos de dólar, a máxima desde outubro de 2013.

O açúcar branco para agosto encerrou em alta de 13,80 dólares, ou 2,7 por cento, a 527,70 dólares por tonelada após tocar máxima dos contrato de 529,70 dólares por tonelada.

(Por Marcy Nicholson e David Brough; reportagem adicional por Nigel Hunt)