Estudo mostra que alemães enriquecem mais que europeus do sul

quinta-feira, 9 de junho de 2016 11:41 BRT
 

Por John O'Donnell

FRANKFURT (Reuters) - A disparidade de renda na zona do euro está crescendo, já que o aumento dos preços de imóveis está ajudando os alemães a ficarem mais ricos, enquanto países do sul da Europa ficam para trás, revelou um estudo.

Embora a diferença entre nações do norte europeu, como a Holanda, e do sul, como Portugal, seja uma característica do bloco há tempos, o estudo de uma subsidiária da empresa de gerenciamento de fundos alemã Flossbach von Storch mostrou que essa desproporção está ficando ainda maior.

Analisando um pacote de itens como propriedades, ações, obras de arte e vinhos caros, a pesquisa concluiu que a riqueza aumentou mais de 7 por cento na Alemanha e na Áustria no final de 2015 em comparação com o ano anterior.

Essa cifra é cerca do dobro da taxa de crescimento de Itália e Espanha, enquanto os gregos viram sua riqueza diminuir mais de 4 por cento. Os preços dos imóveis, que aumentaram mais de 6 por cento na Alemanha, são os maiores catalisadores da riqueza.

Essa diferença leva a uma tensão política entre os 19 membros da zona do euro, enquanto os preços baixos dos imóveis nos países do sul afetam os bancos locais, que detêm residências e propriedades comerciais como seguro para seus empréstimos.

"Até 2006, quando a bolha estourou, os países do sul estavam realmente decolando. Agora estão em uma situação parecida à do Japão", disse Thomas Mayer, fundador do instituto de pesquisa que realizou o estudo.

O Japão vem lutando há tempos com uma economia essencialmente estagnada e uma dívida pública ainda maior. Alguns economistas temem que um destino semelhante ameace países da Europa.

 
Pessoas andando na Alexanderplatz, em Berlim.     04/02/2016      REUTERS/Fabrizio Bensch/File Photo