Juros baixos do BCE podem elevar risco de alta abrupta em prêmio de risco, diz Weidmann

sexta-feira, 10 de junho de 2016 09:35 BRT
 

Por Balazs Koranyi

ELTVILLE, Alemanha (Reuters) - Um período prolongado de juros baixos pelo Banco Central Europeu (BCE) poderia aumentar o risco de uma alta repentina nos prêmios de riscos, e por isso as autoridades deveriam considerar as implicações do desequilíbrio financeiro, disse nesta sexta-feira o presidente do banco central alemão, Jens Weidmann.

As declarações dele coincidiram com as do ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, e de outro parlamentar do partido conservador da chanceler Angela Merkel renovando as críticas à política monetária ultrafrouxa do BCE.

O BCE espera que sua principal taxa de juros permaneça em território negativo por anos, potencialmente elevando a tomada de risco e inflando as bolhas de ativos já que os investidores são forçados a afastar-se de instrumentos de renda fixa para buscar retornos.

Isso tem levantado preocupações de que bolhas possam estourar ou de que um eventual fim das políticas monetárias ultrafrouxas possam provocar uma súbita virada no mercado.

Mas autoridades vêm tendendo a minimizar as preocupações com a estabilidade, argumentando que nenhuma bola é evidente por enquanto e que a principal tarefa do BCE é cumprir a meta de inflação.

"Eles (gerentes de ativos) podem se tornar cada vez mais nervosos quanto mais tempo as autoridades monetárias tentarem manter a política de juros baixos", disse Weidmann em conferência. "Isso, por sua vez, pode elevar a probabilidade de uma alta repentina nos prêmios de risco."