Odebrecht perde o prazo para transferir projeto colombiano e receberá multas

sexta-feira, 10 de junho de 2016 20:09 BRT
 

BOGOTÁ (Reuters) - A construtora Odebrecht [ODBES.UL] ainda não encontrou uma empresa para adquirir uma grande porção de sua parcela majoritária avaliada em 849,7 milhões de dólares em um projeto para tornar o rio Magdalena, na Colômbia, mais navegável, e agora começará a pagar multas por não iniciar a construção, disse o governo nesta sexta-feira.

A Odebrecht, maior conglomerado de engenharia da América Latina, disse em maio que iria abandonar entre 50 por cento e 75 por cento de sua participação no consórcio Navelena, que foi incumbida de aprofundar o rio para permitir a passagem de grandes barcaças de cargas.

O contrato do projeto permite que a brasileira Odebrecht passe a maioria de seus 87 por cento de ações em Navelena para outra empresa em circunstâncias extraordinárias. A Odebrecht tinha até sábado, quando a construção deveria ter começado, para encontrar uma substituta.

Sem uma empresa alternativa no lugar, a Odebrecht vai ser obrigada a pagar multas de 20,86 milhões de pesos por dia, o equivalente a 30 salários mínimos, disse a Cormagdalena, a agência governamental que está supervisionando o projeto, em comunicado.

A Odebrecht disse à Reuters que não tinha comentários a fazer imediatamente sobre o assunto.

Se uma substituta não for encontrada dentro de 30 dias, a Cormagdalena pode começar o processo de encerramento do contrato, disse a agência.

(Por Julia Symmes Cobb)