BCE prometerá dar suporte aos mercados se Grã-Bretanha deixar a UE, dizem fontes

terça-feira, 14 de junho de 2016 11:33 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) prometerá publicamente dar suporte aos mercados financeiros, em conjunto com o Banco da Inglaterra, se a Grã-Bretanha deixar a União Europeia (UE), afirmaram autoridades com conhecimento sobre o assunto à Reuters.

Os preparativos ilustram o estado de alerta antes do referendo de 23 de junho, que irá determinar o futuro da Grã-Bretanha em assuntos comerciais e globais e também moldará a UE. A libra e euro perderam valor em meio a temores de que a saída da Grã-Bretanha pode gerar recessão no bloco de 28 membros.

Tal anúncio do BCE poderia vir em 24 de junho se o resultado mostrar que a população britânica escolheu deixar a UE, de acordo com as fontes. O objetivo é reforçar a confiança dos investidores em toda a Europa e conter mais nervosismo do mercado.

"Haverá uma declaração sobre fazer o que for preciso para manter a liquidez adequada do mercado", disse um funcionário do banco central, que falou sob condição de anonimato.

A promessa do BCE implicaria abrir as chamadas linhas de swap com o Banco da Inglaterra, permitindo a troca de euros e libras e efetivamente disponibilizando financiamento ilimitado em ambas as moedas para os bancos europeus, disseram as fontes.

O BCE e Banco da Inglaterra se recusaram a comentar.