Maioria das grandes empresas na bolsa deve elevar remuneração a diretores em 2016

quarta-feira, 15 de junho de 2016 15:46 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - Quase dois terços das maiores empresas na Bovespa estimam aumento na remuneração total de seus diretores em 2016, com parcela relevante delas possivelmente apresentando resultado melhor apesar do ambiente recessivo.

Levantamento da Reuters com base em dados das próprias companhias mostra que 31 empresas com ações no Ibovespa, índice que reúne as principais ações brasileiras, projetaram elevação dos pagamentos totais a suas diretorias estatutárias para 1,2 bilhão de reais neste ano, valor 33 por cento acima dos cerca 900 milhões de reais em 2015.

A conta inclui salários e remuneração variável, como participação nos lucros e opções de ações.

Há uma forte correlação entre o aumento da remuneração e a expectativa de resultados melhores para esse universo de empresas, com a maioria delas apresentando lucro líquido maior ou reduzindo o prejuízo visto no ano passado, conforme projeções de analistas.

Com o Brasil caminhando para a maior recessão de sua história no biênio 2015-16, os resultados finais melhores serão principalmente consequência de um forte controle de custos por parte das empresas e de um câmbio mais comportado, que influencia a dívida em moeda estrangeira das empresas.

Além disso, há empresas reavaliando suas políticas de remuneração de executivos, em alguns casos elevando o salário e reduzindo a parcela variável e outros benefícios, segundo a diretora da consultoria KPMG Gisleine Camargo. "Hoje todos os segmentos que atuo, seja do varejo, da prestação de serviços, de equipamentos, todos estão tendo que repensar, utilizar criatividade para chegar a um consenso interessante entre a empresa e o funcionário", afirmou Gisleine. Ela explicou ainda que muitas vezes pode existir a impressão de que as empresas elevaram a remuneração, mas isso pode decorrer de opção das companhias em pagar mais para um determinado profissional, porém dentro de uma estrutura corporativa mais enxuta, o que representa economia de custos totais.

As 16 empresas no Ibovespa que estimam uma remuneração menor devem desembolsar 385 milhões de reais para pagar seus mais altos executivos, queda de 17 por cento ante os quase 464 milhões de reais no último ano.

Três empresas com ações no índice --Equatorial Energia, Bradespar e Sabesp-- não tinham informações disponíveis sobre a remuneração de suas diretorias prevista para 2016.

O levantamento da Reuters não inclui os bancos com papéis no Ibovespa, devido à natureza específica da atividade financeira: Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander Brasil. Juntos, eles estimam quase 1,1 bilhão de reais em remuneração a seus principais executivos em 2016, acima do 1 bilhão de reais do ano passado.