Entidades questionam fusão de empresas de educação Kroton e Estácio

quinta-feira, 16 de junho de 2016 08:16 BRT
 

Por Juliana Schincariol

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Uma possível fusão entre Kroton e Estácio é questionada por entidades do setor de educação, que veem risco de que o negócio possa criar um grupo com amplo poder de mercado e que concentra parcela significativa de fundos de incentivo à educação.

No Congresso Nacional, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) pretende realizar audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara para tratar o assunto.

"Você terá uma concentração ao criar uma empresa com 30 por cento de participação e mais de 50 por cento do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) na mão de uma única instituição. Temos que olhar com cuidado", disse Maia.

O deputado propôs a convocação do presidente da Kroton, Rodrigo Galindo, e do presidente interino do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Márcio de Oliveira Junior. Maia quer ouvir, ainda, o diretor-presidente da Ser Educacional, Jânyo Diniz, que também apresentou uma oferta de fusão com a Estácio.

Segundo o parlamentar, o objetivo da audiência é esclarecer os pontos de vista das empresas, uma vez que o assunto é de interesse público. "O Legislativo tem poder de participar do debate. Talvez a Kroton tenha suas razões e possa explicá-las", afirmou.

No caso da Ser, ele disse que apesar de ser potencialmente um negócio menor, uma concentração do mercado não é saudável independentemente da oferta que se concretizar.

A Kroton, maior empresa de educação superior privada do país, encerrou março com 1,01 milhão de alunos, enquanto a Estácio, segunda maior do setor, tinha base total de 588 mil estudantes. A Kroton tem operações de ensino presencial mais concentradas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país, enquanto a Estácio possui campi em todos os Estados do Nordeste e em alguns da região Norte.

A proposta de Maia ocorre na sequência de denúncia da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ) no Cade contra o interesse da Kroton em adquirir a Estácio, na terça-feira.   Continuação...