Bovespa encerra pregão volátil em alta de 1% acompanhando o exterior

quinta-feira, 16 de junho de 2016 17:46 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou em alta de 1 por cento nesta quinta-feira, depois de ter recuado mais cedo, acompanhando o movimento das bolsas dos Estados Unidos que passaram a subir após a suspensão das campanhas para o referendo sobre a permanência britânica na União Europeia.

O Ibovespa encerrou em alta de 1,02 por cento, a 49.411 pontos. O giro financeiro foi de 5,96 bilhões de reais.

Uma parlamentar britânica morreu após ter sido baleada no norte da Inglaterra nesta quinta-feira, causando comoção em toda a Grã-Bretanha e a suspensão temporária das campanhas para o referendo na próxima semana.

Enquanto investidores buscavam digerir as implicações do ocorrido para o referendo sobre a permanência britânica na UE, os índices acionários norte-americanos passaram a subir após cinco sessões seguidas de perdas, o que endossou ganhos na Bovespa.

O índice da bolsa brasileira chegou a cair 1,73 por cento no pior momento do dia, com a aversão ao risco no exterior por conta do referendo, entre outros fatores. Além disso, comentários do Federal Reserve na véspera ainda foram objeto de análise, após a chair da autoridade monetária norte-americana, Janet Yellen, afirmar que o Fed ainda precisa ver sinais mais claros de força econômica antes de elevar os juros.

Mesmo ante a expectativa quanto ao resultado do referendo britânico na próxima semana, o Ibovespa pode se descolar do exterior, na avaliação do gestor Marco Tulli Siqueira, da mesa de operações de Bovespa da Coinvalores, porque a perspectiva de corte de juros no Brasil deixou a bolsa mais interessante para investidores.

"Ao meu ver o Ibovespa ficará em um canal, entre 47 mil e 52 mil pontos. Em particular no Brasil, há um ensaio de migração de renda fixa para renda variável e portanto essa volatilidade ficará testando esses pontos", afirmou.

Na cena doméstica, o quadro político seguiu como pano de fundo. Na quarta-feira, o mundo político brasileiro foi sacudido pela divulgação da delação premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, em que acusa o presidente interino Michel Temer de ter pedido recursos ilícitos para a campanha de Gabriel Chalita à prefeitura de São Paulo em 2012.   Continuação...